Ache O Que Você Procura ;)

60 itens encontrados para ""

Posts do blog (57)

  • Crítica | DC Liga dos Super Pets | Diversão descompromissada

    Lançado recentemente, DC Liga dos Super Pets chegou com a promessa de ser um filme descontraído que apresenta os animais de estimação da Liga da Justiça de maneira dinâmica e divertida, mas será que conseguiu ? Veja nossa crítica ! Para início de conversa, tenha em mente que este não é aquele filme infantil de animação que também se encaixa no gosto do público mais adulto, muito pelo contrário, ele satisfaz o seu público e fica por isso mesmo. Não que o mesmo não seja divertido, mas está claro que se você (que pretende levar o seu filho para os cinemas assisti-lo) espera "algo a mais", pode acabar se frustrando bastante, então melhor ir sem qualquer expectativa. Quanto a animação, podemos dizer que ela faz muito bem o seu trabalho e em nenhum momento demonstrou qualquer sinal de algo mal acabado, uma vez que está dentro dos padrões que já conhecemos. A trilha sonora também não surpreende, mas está longe de desagradar, já que é apenas mais um exemplo daquela típica composição de músicas animadas e genéricas, feitas apenas para agradar o seu público alvo. O que realmente pesa por aqui é o fato de que o roteiro não pensou muito em como iria introduzir a Liga da Justiça nesse filme sem que seu brilho ofuscasse os Super Pets e como resultado, toda a nossa atenção se volta para ela sempre que presente, o que também é agravado por toda esta situação que vemos nos bastidores da Warner Bros. Discovery no que diz respeito ao DCEU. De maneira geral, podemos dizer que DC Liga dos Super Pets abraça uma trama simples para agradar o público ao qual se destina de maneira cômica e descontraída, mas é exatamente por isso que acaba dando foco a personagens que não deveria, o que no final deixa apenas uma impressão morna do trabalho de Jared Stern, diretor do filme.

  • Crítica | Star Wars: Visions - 1ª Temporada | A força está no anime

    Lançada em 2021, Star Wars: Visions marca o retorno da franquia com nada mais e nada menos que uma animação em formato de anime, sendo esta lançada exclusivamente no catálogo do Disney+, mas será que a obra faz jus ao legado de Star Wars, veja nossa crítica ! Bem, como citamos anteriormente Star Wars: Visions tem um formato um tanto quanto fora do comum, já que é a primeira vez que a Disney aposta neste estilo de animação, o que aqui funciona principalmente durante os combates mano a mano (com ou sem a presença de um sabre de luz), onde podemos sentir na pele a tensão daqueles momentos e realmente compreender o patamar de habilidade em que estão os personagens, porém, devemos admitir que temos uma preferência pela animação mais convencional usada em Star Wars: Rebels por exemplo. Já quando tratamos de criatividade, esta obra tem de sobra, ou pelo menos é a impressão que ela deixa para os espectadores mais usuais e que provavelmente não notarão a clara inspiração que esta tem, seja nas HQs de Star Wars ou até mesmo em alguns anime bem conhecidos. Os problemas aqui se dão justamente quando a série se empolga demais e se esquece da franquia a qual pertence, falamos isso devido ao fato de que em alguns momentos, a história parece tomar rumos narrativos que fogem bastante do que se espera para uma obra de Star Wars, pelo menos aqui, isto não ocorre com tanta frequência, mas quando acontece, fica difícil subir mais essa nota. Concluindo, Star Wars: Visions entrega o necessário para te entregar uma experiência divertida o suficiente para fazer jus ao nome da franquia a qual pertence, nos deixando ansiosos para a próxima temporada.

  • Crítica | Interestelar (2014) | Uma densa e marcante ficção científica de Christopher Nolan

    Na época de seu lançamento, Interestelar chamou a atenção do público e da crítica, não só dividindo opiniões dos dois lados, como também gerando inúmeros debates sobre o seu final surpreendente. Mas será que o filme realmente é tão inovador e incrível como os seus admiradores dizem por aí? Veja nossa crítica! Para começar, temos que elogiar o método de Nolan, que constrói boa parte das cenas através de efeitos práticos extremamente convincentes e de um CGI que cumpre bem o seu papel. O trabalho de fotografia de Hoyte van Hoytema tem êxito ao ressaltar o contraste entre a escuridão do espaço sideral e os tons de cores vívidos dos astros presentes nele. Quanto as atuações, todo o elenco entrega um ótimo trabalho, mas o destaque vai para o vencedor do Oscar Matthew McConaughey, que além de trazer uma excelente carga dramática para o seu personagem, também expressa uma sensibilidade (naturalmente transmitida) capaz de nos emocionar. Um dos principais pontos fortes de Interestelar é a trilha sonora composta por Hans Zimmer, pois a mesma intensifica consideravelmente o impacto e a emoção das principais sequências ao decorrer do longa e demonstra importantes valores por trás delas. Vale destacar que a edição acerta bastante quando é econômica e precisa em diversos momentos do filme (o que eleva a emergência da situação juntamente com a trilha sonora), mas escorrega ao tratar cenas artificiais e com menor importância com um alto teor de tensão. O roteiro de Interestelar explora temas científicos convincentes ao público e baseados profundamente em estudos sobre buracos negros, astronomia, relatividade do tempo (até de forma chocante) e critica o negacionismo anticientífico, mas não se aprofunda na questão ambientalista como deveria, resultando numa trama movida fragilmente. Além disso, durante os dois últimos atos do longa, os diálogos se tornam mais explicativos, as justificativas passam a ser implausíveis, surgem conveniências e facilitações contraditórias que diminuem a credibilidade da obra e o enredo “abraça” o sentimentalismo exagerado e barato que resolve toda a problemática. Falando da direção, Nolan carrega uma grande força narrativa durante todo o enredo, atiçando o nosso interesse pela história e conduzindo cenas extremamente impactantes primorosamente, apesar de falhar ao construir narrativas paralelas. Concluindo, Interestelar nos concede uma experiência “de encher os olhos” no quesito técnico, mas falha ao tentar retratar conceitos antagônicos de forma homogênea e abordar questões contraditórias com a proposta da obra.

Ver todos

Páginas (3)

  • Criticou - Site Oficial

    Elvis Presley mantém um relacionamento complicado com seu enigmático empresário, Tom Parker, por mais de 20 anos. Elvis (2022) VEJA A CRÍTICA CRÍTICAS DOS ÚLTIMOS LANÇAMENTOS O FS Reviews agora é o Criticou 01 Milhares Ano de de Novos Site Leitores

  • Quem Somos | Criticou

    Quem Somos O Criticou surgiu em Janeiro de 2021 com a ideia de criticar filmes e séries da maneira mais imparcial e justa possível, de forma que os leitores pudessem ter uma ideia prévia sem spoiler do que poderiam esperar de uma produção que tenham algum interesse em ver, para que assim, eles mesmos possam colocar na balança os pontos bons e ruins dela, decidindo se vão ou não vê-la. ​ O grupo teve início quando seus criadores (Mateus de Medeiros, Gabriel Rodrigues e Lucas Castilho) decidiram assistir os dois primeiros episódios da série Falcão e o Soldado Invernal reunidos em uma videoconferência no Zoom, eles estavam comentando sobre a série, quando decidiram analisar a nota de alguns filmes que eles assistiram no site Rotten Tomatoes, e ao verem que nem todas as críticas eram justas com as produções, decidiram fazer as suas. ​ Logo depois disso, em março do mesmo ano, os mesmo criaram seu próprio site de críticas, o chamando de FS Reviews. O site foi crescendo e aumentando sua visibilidade, até que em certo momento, seus criadores perceberam que estava na hora de uma repaginada total, com um novo design e um novo nome: Criticou. Este permanece como a nomenclatura atual do site, que com base na opinião de seus leitores, melhora cada vez mais.

  • Erro 404 | Criticou

    404 Astronauta perdido no espaço Desculpe, mas essa página está numa galáxia muito distante. Ir para Página Inicial

Ver todos